HÁ DUAS FORMAS DE ENCARAR O AMOR: EXIGINDO DEMAIS OU FICANDO COM QUALQUER UM PARA TER ALGUÉM. EM QUAL TIPO VOCÊ SE ENCAIXA?

Uma cerveja ou duas, um cinema, uma troca de mensagens, um “a gente se fala” que dizemos pra quem a gente não vai falar mais.

– Por que você não mandou mais nenhuma mensagem?
– Não sei, não me apaixonei…

De repente a vida vai passando. E quando foi mesmo que você sorriu e olhou em silêncio os olhos de alguém? Então começa a viajar mais, trabalhar mais, faz até novos amigos e, quando menos percebe, se apaixonar perde a importância frente a todas as suas outras rotinas e escolhas. Você evolui, amplia outras esferas da sua vida e cada vez mais alguém precisa ter muito mais a oferecer para te conquistar. A cada dia fica mais difícil balançar você.

Alguns acham que romances não são tão importantes assim pra nossa sociedade, vivem bem com isso. Outros, não, e sofrem bastante seus insucessos amorosos. Por mais que se conformem, amantes veem o mundo com olhos de amantes e se sentem vivendo pela metade quando não estão dividindo partes da sua vida com alguém.

Existem vários motivos que levam duas pessoas a não levarem algo adiante – na verdade, essa é a regra. Você pode ser um idealista que busca um amor de faz-de-conta; você pode ser um sociopata, que afasta todo mundo de você; pode ser arrogante e egocêntrico, cujo ego é tão grande que ninguém é bonito ou popular suficiente; pode ser medroso; mimado; preguiçoso; imaturo; ou apenas exigente.

Eis o suposto drama. O exigente demanda, mas oferece tanto ou mais do que procura. Está disposto a ser surpreendido, a se dedicar e chega às vezes a pensar se ele mesmo não é o culpado de estar há tanto tempo sozinho, quando na verdade não é (pelo menos não diretamente). Afinal, como namorar alguém que você não admira? Como se apaixonar por alguém que nunca tem nada a dizer? Logo você, que aprendeu a valorizar as pessoas, que sempre se preocupou com um mundo que existe pra fora do seu umbigo, que sabe fazer – e faz – cafuné.

Já parou pra pensar que sim, existem pessoas que são especiais demais? Muitos dizem que em terra de cego, quem tem olho é rei, aplicam essa frase e ignoram a solidão que isso pode implicar no hipotético privilegiado. Quanto maior for sua busca por elevação espiritual, quanto maiores forem seus entendimentos sobre o mundo, menor será o número de parceiros possíveis. Estatisticamente, existe muito menos gente pensando além da caixinha nesse mundo.

Às vezes , é possível que olhe para o lado, veja que muitos são os que estão namorando enquanto você está solteiro. Mas observe também quantas coisas as pessoas são capazes de se sujeitarem só pra se ter alguém? Ou quantos são relacionamentos de fachada, mornos e vazios, pintados em aparência nas redes sociais? É possível que você apenas tenha ido longe demais, fugido de padrões imbecilizados, afunilando suas possibilidades. Esse é um dos preços que se paga por ser grande. Meu conselho? Não interrompa seu progresso, seja incrível. Em algum momento vai encontrar alguém, pode até ser que demore, mas eu, particularmente, prefiro poucos e bons amores aos muitos pedaços de nada acumulados ao longo da história.

 

Texto de André Portugal, retirado de (http://www.universoaa.com.br/exclusivas-aa/exigente-no-amor-quando-voce-nao-se-sujeita-a-qualquer-um-para-ter-alguem/)

Comments

comments